Crise e instabilidade politica tomam conta de Palmares e Camaragibe

Publicado em 10/03/2019 às 08h30

A crise política nacional que atrai holofotes da grande maioria do povo brasileiro desde 2014 é de conhecimento geral, embora grande parte da população desconheça as causas e efeitos reais, mas sinta apenas as consequências práticas desta modalidade de ruptura. O que também foge aos olhos do eleitorado é o fato de que a crise política tem várias vertentes e uma delas atinge diretamente os municípios. 

No estado de Pernambuco, a forma mais notória da instabilidade política é encontrada nas cidades de Palmares e Camaragibe, mas não se resume apenas às duas. Em Palmares, recentemente veio à tona o afastamento do prefeito Altair Júnior(MDB), que mais tarde retornaria ao cargo através de decisão liminar. A população, que não vive diariamente as análises políticas dos principais articuladores do estado, apenas recebe atônita a notícia, o que contribui para a criação de uma falsa ideia de que todos os políticos são igualmente ruins. Outro efeito direto do vai-e-volta do chefe do executivo é a fragmentação de forças na cidade com o surgimento de grupos paralelos que objetivam a possibilidade de lançarem vias alternativas, com projetos que destoem do tradicionalismo, tão rejeitado nos últimos anos. 

Em Camaragibe, o caso é ainda mais grave. Com quase 90% de rejeição, o prefeito Demóstenes Meira(PTB) quase todas as semanas está sendo alvo de representações judiciais. Em 2017 e 2018 foi investigado por suposta compra de apoio político e abuso de poder financeiro nas eleições de onde se sagrou vitorioso e por nepotismo, ao empregar diversos familiares diretos em cargos de secretarias. Também em 2018, diversos áudios em que ele coagia funcionários da prefeitura a votar nos candidatos dele  sob pena de demissão foram vazados. Em 2019, o ano mal começava e o prefeito ficou famoso no país inteiro ao coagir funcionários para que estivessem em um bloco de carnaval do secretário de educação porque a noiva dele estaria cantando. Em fevereiro, a Câmara Municipal admitiu a instauração de CPI para investigar Meira e um grupo de 4 vereadores entrou com representação no Ministério Público sobre superfaturamento em contratos expedidos. Diante de tantas notícias ruins todos os dias, sem contar a guerra pelo comando da Presidência da Câmara de Camaragibe e a paralisação dos serviços públicos essenciais, já quase 10 nomes se pré-colocam como candidatos a prefeito e, embora alguns destes desistam ou componham com outros, a tendência é que permaneça a fragmentação do cenário local, fruto da falta de unidade e rejeição aos nomes mais conhecidos. 

Os casos recentes são os destas duas cidades, mas outros municípios como Glória do Goitá, Goiana, São Lourenço da Mata e Catende viveram há pouco ou vivem sobre a instabilidade política e briga entre poderes. Resta saber se os grupos partidários saberão guiar os rumos para emplacar alternativas que realmente representem o povo ou continuarão insistindo em modelos ultrapassados e claramente pouco eficientes para a política atual. 

Educação – Começarão na próxima semana as instalações dos membros de Comissões Permanentes e Especiais na Câmara Federal. Dentre os pares, há o sentimento de que o PSB continuará comandando a Comissão de Educação, uma das mais importantes, com a figura respeitabilíssima de Danilo Cabral. 

Enrolouse – Tentando dar o tom no Dia Internacional da Mulher, o prefeito de Carpina, Botafogo (PDT), acabou se enrolando ao mandar um áudio. Na cidade, o prefeito foi acusado de machismo em pleno 8 de Março porque indicava a submissão das mulheres. Em resposta, Botafogo justificou-se dizendo que não foi machista e apenas estava replicando um versículo bíblico que falava sobre as mulheres.

Pernambucanos – Muitos pernambucanos foram escolhidos como líderes partidários na Câmara Federal. Entretanto, resta saber se o protagonismo dos conterrâneos permanecerá vivo na composição das Comissões Permanentes este mês.

Trator de Cleto – Fazendo jus a este apelido icônico que ganhou durante as eleições de 2018, o suplente de vereador do Recife, Júnior de Cleto(PATRI), não parou mesmo após outubro. Ele continua diariamente correndo e visitando a comunidade, além de facilitar serviços essenciais à população mais carente, com projetos sociais. Cleto tem tudo para ser eleito vereador em 2020 pela capital.

Escrito Por Marcelo Velez.

Fonte: Blog Ponto de Vista.

Enviar comentário

voltar para Blog

bdt b02|left|||||login news bdt b02|bdt b02|bdt b02|login news bdt b02|b02 bdt|bdt b02|content-inner||